• doramachadooficial

Teoria de Pareto (Curva ABC) pra tudo? Tudo mesmo?

Muitas pessoas "pensam" que entendem o que é Curva ABC, mas quando começamos a falar em detalhes sobre as fórmulas utilizadas, ficam perdidas, pois o conhecimento é muito superficial, normalmente.


Assim é em várias áreas de atuação no Brasil, infelizmente, onde vemos que estamos com carência de profissionais bons de verdade, que saibam defender as teses que precisam, com conteúdo, teoria e lógica. A Curva ABC foi criada por Vilfredo Pareto, um francês/italiano preocupado em estudar a distribuição de renda no mundo. Este estudo feito por ele em 1897 certamente foi muito mais além do que o próprio Pareto esperava. Ele mostrou que 80% da riqueza estava concentrada em apenas 20% da população.


A curva ABC (ou curva 80/20 como alguns chamam), é utilizada por várias áreas e não somente a sócio econômica.


Eu uso pra tudo mesmo. Desde a parte abaixo técnica que explico com maiores detalhes, até mesmo minha vida pessoal, ou seja, quais as despesas de minha curva ABC, quais meus maiores gastos etc. O interessante é que, ao olhar para suas finanças pessoais, por exemplo, você pode concluir onde gasta mais e, consequentemente, onde pode economizar mais. A partir daí, claro, montar um plano de ação de realinhamento de suas finanças.

PARTE I - a parte teórica da coisa e a aplicabilidade:

Nas empresas utiliza-se especialmente para produtos (sendo eles acabados ou não), clientes e fornecedores. Para os produtos de uma empresa, a curva ABC pode e deve auxiliar na administração dos estoques (levando aqui a um outro capítulo, ou seja, auxiliar na gestão de estoques, inclusive de slow movers e itens obsoletos), definição de política de vendas, budget e forecast de vendas, planejamento de compra de materiais e programação de materiais.


Com relação aos clientes, pode ser utilizada para classificá-los em relação aos volumes de compras ou também para checar a relação destas compras à margem de lucro obtida através deles. Pode ser também um excelente fator para estabelecer políticas de vendas, atrelando produtos ABC para clientes ABC, sendo determinadas aqui, facilmente, bases para políticas sólidas e desenhos de estratégias de mercado. O mesmo posso dizer com relação aos fornecedores. Isto sempre atrelado aos itens que se compra na empresa, obviamente.


E na sua vida pessoal e/ou profissional posso te dar uma grande dica que li no livro Trabalhe 4 horas por Semana, de Timothy Ferriss.

Aliás, 2 perguntinhas:

1. Quais os 20% de causas responsáveis por 80% dos meus problemas e de minha infelicidade?

2. Quais os 20% de causas responsáveis por 80% dos meus resultados positivos e de minha felicidade?

O autor explica que o objetivo é "descobrir suas ineficiências, de modo a eliminá-las, e descobrir seus pontos fortes, para que possa multiplicá-los."

Pode ser muito comum, por exemplo, que após estes questionamentos, você decida ignorar certos clientes, além de adotar estratégias diferentes para outros tantos.

Imagine que o próprio autor comenta que apenas 5 clientes (de sua carteira de 120) rendiam 95% da receita dele. Algo a se fazer, após esta conclusão, certo?


PARTE II - a parte mais importante: como calcular.

Desta maneira, para os itens A, por exemplo, pode-se estabelecer políticas estratégicas de poder de compra. A fórmula para o cálculo é muito simples para separar os itens e classificá-los por ABC. Normalmente uma pequena variação deste critério é praticada de empresa para empresa, mas eu, particularmente, gosto de adotar 20% dos itens como itens A (leia-se ou clientes ou fornecedores ou o que quiser avaliar, segundo a metodologia de Pareto) que representam 65% do valor total; 30% dos itens como itens B que representam 25% do valor total e, finalmente mas não tão menos importante, 50% dos itens como itens C, representando 10% do valor.


O parágrafo anterior explica o porquê não concordo de chamar esta curva simplesmente de 80/20, já que temos três distintas e importantes classificações. Normalmente digo que temos que dar a mesma atenção para qualquer item, já que é inviável, por exemplo, parar a linha de produção de uma fábrica por falta de parafusos, que normalmente são itens C, já que estão dentro dos 50% dos itens, representando apenas 10% do valor total do estoque. Fatores como sazonalidade, alterações de market share, medidas sócio econômicas locais ou mundiais, entre outros fatores que variam de empresa para empresa, devem impreterivelmente ser levados em consideração na análise dos itens da curva ABC.


Eu, particularmente, gosto de recomendar uma reavaliação da curva de tempos em tempos, já que um item ou cliente ou fornecedor que hoje é A, pode eventualmente "escorregar" para a curva B ou C. E vice-versa. Eu gosto sempre de traçar uma linha do passado para os últimos 12 meses. Há muitas literaturas que concordam comigo e também há, por outro lado, muitas empresas que consideram um menor tempo para análise do passado, como por exemplo, 3 meses. Acho este curto período uma representatividade  de pouca massa crítica para realizar um projeto de análise de curva ABC, até porque este tema é extremamente importante para o planejamento da empresa em várias áreas, onde julgo que devamos ter o máximo de cautela possível.


Então, vamos ao cálculo. Quando digo "vendidos" abaixo, use "consumidos" caso deseje fazer a curva ABC para itens comprados ou de produção. A regra é a mesma:


1. Extrair relatório de todos os itens que foram vendidos nos últimos 12 meses : registrar o preço unitário de cada item no mesmo relatório e a venda média para este mesmo período calcular o valor da demanda, ou seja, preço unitário X venda média classificar a informação do item acima (valor da demanda) por ordem decrescente incluir uma coluna (se for relatório excel - caso contrário incluir no relatório do sistema ERP) com o acumulado dos valores de demanda, linha a linha, ou seja, a primeira linha mostra o valor da demanda daquela linha. As seguintes vão se somando à linha anterior. desta maneira, na última delas, irá obter a somatória acumulada dos valores do período incluir nova coluna com o percentual de cada linha em relação à última. separar os itens no relatório, conforme quadro abaixo.

Os primeiros serão os A, depois virão os B e finalmente os C:                     

Itens A       Itens B        Itens C

Qtde Itens            20%           30%             50%

Valor ($)               65%           25%            10%


Pronto! Está feita a classificação ABC.


Como falei acima, use pra tudo. Pra sua empresa, sendo em qualquer área, com clientes, com fornecedores. E pra sua vida pessoal.


Está despendendo tempo com coisas que parecem sem sentido? Pode ser realmente que sim.

Faça um Pareto de suas atividades: quanto tempo você dedica a elas VERSUS quanto você tem de retorno. Aposto que terá estratégias de tempo diferenciadas para atacar as atividades A, B ou C.


Sucesso !

Dora Machado



49 visualizações

© 2019 Dora Machado Consultoria

doramachadooficial@gmail.com